Resumo

O objetivo deste trabalho consiste em analisar a terminologia do domínio do ciclismo, mais particularmente da modalidade ciclismo de estrada, refletindo sobre os diferentes graus de equivalência mantidos entre os termos em português do Brasil e francês da França que denominam as partes principais da bicicleta de estrada. Para tanto, adotamos os princípios teóricos e metodológicos da Terminologia, sobretudo no que tange à Teoria Comunicativa da Terminologia (TCT) e aos critérios de delimitação da terminologia em pauta. Além disso, fundamentamo-nos na Terminologia Bilíngue, na medida em adotamos critérios que nos permitiram estabelecer os graus de equivalência entre as unidades terminológicas estudadas. Como resultados principais, verificamos que os graus de equivalência entre esses termos são, em sua maioria, totais. Há, no entanto, sete casos de equivalência parcial, uma vez que consideramos que esses termos não apresentam exatamente o mesmo uso no domínio do ciclismo de estrada no Brasil e na França.