Foco e Escopo

A Revista da Abralin é uma publicação quadrimestral da Associação Brasileira de Linguística, que tem como objetivo publicar textos originais e inéditos (artigos, resenhas, retrospectivas, debates, questões e problemas) em todas as áreas da Linguística, contribuindo para a difusão, fortalecimento e internacionalização da pesquisa linguística no Brasil. A partir de 2019, serão publicados três volumes por ano: um volume atemático, em fluxo contínuo, um volume destinado a dossiês temáticos, selecionados por meio de chamada pública, e um volume para resenhas, também em fluxo contínuo. O título abreviado do periódico é RABRALIN, que deve ser usado em bibliografias, notas de rodapé, referências e legendas bibliográficas.

Histórico

Lançada em 2002, a Revista da Abralin, mantida pela Associação Brasileira de Linguística, foi publicada inicialmente em versão impressa (o ISSN dessa versão era 1678-1805). Desde 2011, a Revista da Abralin é uma publicação somente eletrônica, com ISSN 0102-7158. De 2013 a 2018, a Revista da Abralin esteve abrigada no portal de Periódicos SER da UFPR. Em 2018, a revista migrou para um servidor ligado diretamente à Associação Brasileira de Linguística, operando em sistema OJS 3.0, que propicia maior qualidade gráfica e de difusão às publicações científicas.

As mudanças editoriais realizadas em 2018 na Revista da Abralin estão alinhadas ao movimento Ciência Aberta, e foram gradualmente implementadas. Em 2018, o Conselho Editorial fixo foi desfeito, sendo constituído anualmente e apenas pelos pareceristas que efetivamente contribuíram com a revista.

Em 2019, a Revista da Abralin passou a adotar a Taxonomia CRediT para registrar os diferentes tipos de contribuição em um manuscrito. Também em 2019, passou-se a publicar junto aos artigos o nome dos pareceristas e dos editores que participaram de cada processo de avaliação.

Em 2020, o processo de avaliação aberta (Open Peer Review) foi implementado, em que autores e avaliadores sabem da identidade um do outro. Este é um processo que visa garantir maior interação e participação da comunidade acadêmica no processo de avaliação, reconhecendo o trabalho dos pareceristas e ao mesmo tempo possibilitando o desenvolvimento de pareceres de maior qualidade, que gerem contribuições mais construtivas ao processo editorial. Os pareceres foram publicados, quando autorizados pelos avaliadores. Em 2021, todos os pareceres serão publicados conjuntamente com os artigos, contribuindo para a transparência e reprodutibilidade da ciência, princípios do movimento Ciência Aberta.

Ciência Aberta

O movimento Ciência Aberta (Open Science) propõe diretrizes para a prática científica colaborativa, compartilhada e pública. A Revista da Abralin oferece acesso livre imediato ao seu conteúdo, seguindo o princípio de que disponibilizar gratuitamente o conhecimento científico ao público proporciona maior democratização mundial do conhecimento. Também em consonância com as diretrizes de Ciência Aberta, a Revista da Abralin incentiva o compartilhamento dos conjuntos de dados de análise, instrumentos, scripts de análise estatística, roteiros e materiais adicionais, disponibilizados em repositórios online abertos. Ademais, a Revista da Abralin adota o sistema de revisão aberto, em que autor e parecerista não são anônimos. A Revista da Abralin entende que a revisão aberta propicia o amadurecimento acadêmico da área, assim como a publicação de artigos preprints que passaram por este processo para a discussão pública, antes de ser publicado em um periódico.

Licença Creative Commons

A Revista da Abralin segue os termos da licença Creative Commons Attribution 4.0 International Public License (CC BY 4.0). Dessa forma, fica permitido ao(s) autor(es) ou a terceiros a reprodução ou distribuição, em parte ou no todo, do material extraído dessa obra, de forma verbatim, adaptada ou remixada, bem como a criação ou produção a partir do conteúdo dessa obra, desde que sejam atribuídos os devidos créditos à criação original. 

Ética e Boas Práticas

A Revista da Abralin assume o compromisso de manter altos padrões de ética e de boas práticas de publicação, pautando a sua conduta editorial pelos princípios internacionais do Code of Conduct and Best Practice Guidelines for Journal Editors (http://publicationethics.org/resources/code-conduct). Diante disso, editores, pareceristas e autores seguem diretrizes que pautam a sua atuação na revista antes, durante e depois do processo de publicação de cada número.

Em termos gerais, os editores comprometem-se a: (1) investigar alguma instância de plágio ou autoplágio por meio de programas antiplágio quando um manuscrito é submetido; (2) escolher pareceristas que não possuam conflito de interesse com os autores; (3) tomar a decisão sobre a submissão, com base na avaliação dos pareceristas, no foco e escopo da revista, na originalidade do manuscrito e na obediência do texto às diretrizes para autores. Essa decisão é tomada a partir da leitura que os editores fazem do texto, após recebimento dos pareceres.

Em relação aos pareceristas, membros da equipe editorial da revista ou pareceristas ad hoc, eles se comprometem a: (1) responder ao pedido de parecer de forma imediata, aceitando-o ou negando-o, de forma a tornar ágil todo o processo de avaliação; (2) rejeitar fazer a avaliação se perceber algum conflito de interesse em relação ao manuscrito; (3) notificar os editores se perceber semelhança entre o manuscrito e outros textos publicados de que tenha conhecimento.

Por fim, os autores, já no processo de submissão, declaram que: (1) a contribuição é original e inédita, não se enquadrando, dessa forma, em plágio e/ou autoplágio; (2) no caso de o manuscrito utilizar imagens (livros, internet, etc.), a autorização do uso das imagens foi enviada aos editores da Revista da Abralin; (3) no caso de textos com mais de um autor, declarar o papel de cada autor na produção de artigo, de acordo com a taxonomia CRediT; (4) no caso de o trabalho ter tido apoio financeiro, divulgar a(s) fonte(s); e (5) revisar o texto com base na pertinência dos comentários feitos pelos pareceristas; caso considere que algum comentário não é pertinente, explicar aos editores sobre a sua decisão.

Política de Privacidade

Os nomes e endereços informados nesta revista serão usados exclusivamente para os serviços prestados por esta publicação, não sendo disponibilizados para outras finalidades ou a terceiros.

Arquivamento

Esta revista utiliza o sistema LOCKSS para criar um sistema de arquivo distribuído entre as bibliotecas participantes e permite às mesmas criar arquivos permanentes da revista para a preservação e restauração.

Processo de Avaliação pelos Pares

O processo de avaliação adotado pela Revista da Abralin é aberto: autores e pareceristas sabem da identidade de um do outro. Os textos submetidos à publicação na Revista da Abralin são avaliados em duas etapas. A primeira, a cargo dos editores e/ou dos organizadores dos números temáticos, consiste na averiguação da adequação do texto à temática, atendimento aos preceitos éticos e consistência da pesquisa, além de atendimento às normas da revista e da ABNT, momento em que os textos podem ser desenquadrados. Na segunda etapa, a cargo de avaliadores - pareceristas selecionados de acordo com o banco de avaliadores cadastrados na base da revista– os textos são avaliados pelo sistema duplo aberto pelos pares quanto ao conteúdo e à escrita, podendo ser recusados inteiramente, aprovados integralmente ou com ressaltas (quando necessitarão ser refeitos para atender às solicitações dos pareceristas). O comitê pode recusar a publicação de artigos que não atendam as normas editoriais. No caso de haver alguma pesquisa envolvendo seres humanos ou animais será exigida a certificação de aprovação prévia da comissão de ética e, por isso, o número de protocolo deve ser mencionado no texto a ser publicado. Os textos aprovados pelo comitê editorial são, então, publicados mediante a autorização expressa de seus articulistas, sobre os quais recaem as respectivas responsabilidades legais relativas às informações neles veiculadas.

Taxas de processamento

A Revista da Abralin não cobra taxas de processamento para a submissão e publicação de manuscritos.

Fontes de indexação

A Revista da Abralin é afiliada à Associação Brasileira de Editores Científicos (ABEC) e ao CrossRef. Atualmente tem estrato Qualis Capes A2, estando indexada nas seguintes bases de dados:

A Revista da Abralin também pode ser acessada na base do Portal de Periódicos da Capes.

ISSN

0102-7158

Índice h5

A Revista da Abralin tem índice h5 de 8. O índice h5 é o indexador h  do Google Scholar dos artigos publicados nos últimos cinco anos passados. Trata-se do maior número h de uma publicação, em que h artigos publicados de 2016 a 2020 tenham sido citados no mínimo h vezes cada.