Ciência Aberta

A Revista da Abralin é uma publicação da Associação Brasileira de Linguística, que tem como objetivo publicar textos originais e inéditos (artigos, resenhas, retrospectivas, debates, questões e problemas) em todas as áreas da Linguística, contribuindo para a difusão, fortalecimento e internacionalização da pesquisa linguística no Brasil.   Lançada em 2002, a Revista da Abralin foi publicada inicialmente em versão impressa; desde 2011, é uma publicação somente eletrônica. De 2013 a 2018, a Revista da Abralin esteve abrigada no portal de Periódicos SER da UFPR. Em 2018, a revista migrou para um servidor ligado diretamente à Associação Brasileira de Linguística. E em 2019, a Revista da Abralin inicia o processo de publicação contínua atemática (submissões contínuas, com publicação após a o aceite), e dois volumes temáticos por ano.   O que se espera de uma revista de uma associação científica como a Abralin?   Ciência aberta. fy9KUcC.png   Fonte: 10.13140/RG.2.2.19553.20326   A ciência vive um momento de crise, que vai muito além da crise da replicabilidade; é uma crise de credibilidade, que decorre da falta de transparência no processo, que é, no cenário brasileiro, majoritariamente financiado pelo contribuinte.   O movimento Ciência Aberta (Open Science) propõe diretrizes para a prática científica colaborativa, compartilhada e pública. Isso significa transparência da concepção inicial da ideia (registro do projeto e declaração das hipóteses) ao conjunto dados, notas de pesquisa, relatórios, instrumentos e a publicação final, que podem ser usados, reutilizados e compartilhados por outras pessoas.    A Revista da Abralin já contribui para o movimento Ciência Aberta ao prover acesso online e livre às suas publicações científicas. Mas as contribuições, a partir de 2019, irão aumentar ainda mais.   Serão priorizadas as submissões à Revista da Abralin que apresentarem a indicação de compartilhamento dos conjuntos de dados de análise, instrumentos, scripts de análise estatística, roteiros e materiais adicionais, que devem estar em repositórios online abertos, tais como OSF e Figshare, por exemplo.   O processo de revisão pelos pares é essencial para o avanço da ciência. No entanto, com o avanço do compartilhamento público e a especialização cada vez maior em temas de pesquisa, o processo de revisão duplo cego (em que pareceristas não sabem quem são os autores, e vice-versa) não tem se mostrado transparente. Em muitas situações, os procedimentos adotados no texto para a anonimatização para a revisão acabam gerando truncagens; e há casos em que por conta das especificidades de área, mesmo com todos os procedimentos de anonimatização, o anonimato não acontece.    Em outra direção, o trabalho do parecerista, essencial para o aprimoramento do texto e com contribuições substanciais para a forma final, não é reconhecido publicamente. Em consonância com as diretrizes de Ciência Aberta, a partir de 2020, as submissões à Revista da Abralin passarão por processo de revisão aberto, em que autor e parecerista não são anônimos. A Revista da Abralin entende que a revisão aberta propicia o amadurecimento acadêmico da área, assim como a publicação de artigos preprints que passaram por este processo: preprints são manuscritos que são compartilhados em um repositório, como o como o Preprints.org ou Psyarxiv.com. para a discussão pública, antes de ser publicado em um periódico.   E seguindo as diretrizes da Ciência Aberta, serão priorizadas as submissões à Revista da Abralin que se comprometerem a contribuir com um texto de popularização a ser publicado na Roseta, revista da Associação Brasileira de Linguística voltada para a popularização científica, de modo a promover a Ciência Cidadã.   Com essas mudanças, além de maior transparência de informações e da prestação de contas do financiamento público, a Revista da Abralin se coloca na vanguarda da ciência brasileira. E para isso, precisamos contar com o valioso patrimônio da Associação Brasileira de Linguística: os seus associados!   O banco de pareceristas da Revista da Abralin precisa ser ampliado para atender ao compromisso de avaliar os manuscritos submetidos à revista de maneira célere, ética e colaborativa, de modo a contribuir para o avanço e consolidação do conhecimento em todas as áreas da Linguística.   A atividade de emissão de pareceres é considerada uma produção técnica, passível de registro no currículo Lattes e em outras plataformas colaborativas de compartilhamento de produção científica, como o Publons.    O perfil necessário para atuar pareceristas da Revista da Abralin é:
  • Ter doutorado concluído na área de Linguística ou afins.
  • Ter disponibilidade de realizar pelo menos dois pareceres por ano.
Os cadastros devem ser realizados no site da Revista da Abralin.   Ao realizar seu cadastro, é importante informar o número de ORCID. Juntamente com o DOI, o ORCID é importante para a internacionalização da ciência brasileira, já que é a partir destes identificadores que são avaliadas as publicações, como no Web of Science. 

2019-07-17