Resumo

A partir de dados levantados por Silva (2020), o presente artigo tem como finalidade principal apresentar um panorama historiográfico da criação do Mestrado Acadêmico em Letras da Universidade Federal do Piauí (MEL/UFPI) e do desenvolvimento da sua produção linguística, ao longo da primeira década de vigência (2004-2014). Para tanto, considerou-se a análise (i) de documentos oficiais que regulamentaram o Curso de Letras e o MEL/UFPI, (ii) de uma amostra de 38 dissertações que, sob diferentes perspectivas de pesquisa, contribuíram para a produção linguística no Estado, e (iii) de depoimentos de alguns docentes da graduação e da pós-graduação em Letras. Primeiramente, em consonância com o princípio da contextualização (KOERNER, 2014 [1995]), foi apresentado um levantamento do clima de opinião que favoreceu a implantação e o desenvolvimento do MEL/UFPI. Em seguida, foram apresentados, com base no conceito de programas de investigação (SWIGGERS, 2004), dados que mostram como os pesquisadores abordaram as questões linguísticas nas dissertações produzidas e defendidas no período em tela. As análises permitiram estabelecer (i) as perspectivas de pesquisas (na área dos Estudos de Linguagem) privilegiadas nas dissertações; (ii) uma continuidade em relação à visão de língua circunscrita na maioria desses trabalhos, independentemente da perspectiva adotada, pelo destaque dado ao caráter social, histórico, pragmático, ideológico, interativo, discursivo etc. da língua/linguagem; (iii) os fenômenos linguísticos mais privilegiados e (iv) as técnicas de análise mais usadas nas investigações.