Resumo

Este texto tem por objetivo mostrar que sufixos de duas faces se distinguem em diferentes categorias que vão da alternância lexical à morfofonológica ou simplesmente alternância fonológica. Discutem-se: -or/dor, como sufixo de uma face só -ivo introduzido como argumento; ão/são, -dade/idade como sufixos de duas faces; ɛl/vel, sufixos diferentes com   propriedades fonológicas em distribuição complementar. O ciclo fonológico tem o seu lugar. Outros sufixos são chamados como argumento. A análise situa-se na morfofonologia com ênfase na fonologia, isto é, no processo derivacional em que regras fonológicas operam. A base da derivação é o particípio passado ou o tema verbal. E os sufixos são caracterizados em termos de localidade, lugar de inserção na palavra. O ciclo fonológico também tem o seu lugar. A análise fundamenta-se na teoria autossegmental e no modelo de derivação sincrônica. Todos os sufixos em estudo estão presentes na gramática sincrônica. O que se apresenta neste estudo é um novo olhar sobre eles.