Resumo

Este artigo trata de sentenças copulares cuja concordância entre sujeito e adjetivo predicativo frustra a expectativa padrão do Português Brasileiro. Sentenças como ‘Mulher é complicado’ despertam também uma questão a respeito do significado de seu sujeito, cuja interpretação aponta para situações e eventualidades apesar da característica nominal desses sujeitos. Este trabalho apresenta inúmeros dados relevantes para o tema, traz a resenha do trabalho de Josefsson (2009), um estudo que aborda sentenças análogas a essas no sueco, e avalia as consequências de se aplicar essa análise ao PB. A abordagem de Josefsson (2009) entende que o sujeito da cópula é de caráter oracional, que seu verbo é uma espécie de verbo leve nulo e que o sintagma realizado é o objeto dessa oração oculta. Mostramos que tal análise não se sustenta diante dos dados, devido especialmente ao fato de que os pronomes pessoais figuram nessas construções no caso nominativo –ao contrário da previsão de não nominativo da autora. Apesar de não trazer uma análise definitiva, este artigo contribui levantando propriedades da construção que devem ser contempladas para uma explicação ampla do fenômeno em questão.