Resumo

Este artigo tem por objetivo a realização de uma análise preliminar de sentenças com os verbos ser e estar, em particular em contextos locativos. Para este fim, vamos nos apoiar na literatura gerativista existente e em análises disponíveis para a discussão dos dados referentes ao português brasileiro (PB). Essa proposta também visa fornecer subsídios para a formação de professores de português como língua estrangeira (PLE) no que se refere ao ensino dos usos dos verbos ser e estar. Geralmente a esses verbos são atribuídas as características “permanente” e “não permanente”, explicação que é desafiada por sentenças como: A ilha do Mel está localizada no estado do Paraná. Concluiremos o estudo apontando possibilidades de explicação e de análise para a distribuição dos verbos copulares e explorando possibilidades de transposição, para a prática de ensino, das contribuições de estudos teóricos gerativistas.