Resumo

Este artigo apresenta argumentações em favor de uma possível proposta de ensino de línguas materna e estrangeiras, baseada na Linguística Sistêmico-Funcional, numa visão sociossemiótica da linguagem. Primeiramente, mostram-se os pressupostos e conceitos mais importantes da teoria de linguagem e da proposta de ensino baseada em gêneros defendida por seus adeptos. Apresenta-se em seguida uma análise de documentos norteadores do ensino de línguas no Brasil, os quais foram elaborados e publicados nos últimos anos, explicitando como as ideias dessa teoria estão presentes ali, ainda que de maneira não intencional. A proposta do ensino via gêneros é explicada, assim como são apresentadas, a título de contribuição, questões que podem nortear o trabalho docente na aplicação dessa proposta.  Argumenta-se também sobre a  necessidade de se explorar o caráter multimodal de textos e explica-se o papel do docente nesta proposta.