Resumo

A proposta deste trabalho é buscar compreender a estrutura de textos multimodais que se apresentam nas mídias digitais, em especial no Facebook, no que diz respeito à orientação argumentativa que apresentam. O método utilizado é o qualitativo e as categorias de análise correspondem aos elementos verbais que encaminhem à qualificação ou desqualificação de referentes e que envolvam, muitas vezes, a construção e a desconstrução de frames – e aos elementos visuais, como o dado e o novo que, utilizados estrategicamente na construção dos referentes, promovam a persuasão dos interlocutores. Teoricamente, embasamo-nos em Perelman e Olbrechts-Tyteca (1996 [1958]), entre outros, no que diz respeito às Teorias da Argumentação e procedemos à correlação com a Semiótica Visual a partir das posições de Kress e van Leeuwen (2001) sobre o conceito de multimodalidade, com o objetivo de compreendermos como se materializa a dimensão argumentativa em um texto multimodal. Entendemos com Silva e Marchon (2021) a ocorrência da argumentação multimodal em textos produzidos a partir de mais de uma modalidade (verbal e imagética) que formam um todo coeso, para alcançar a persuasão do interlocutor. O corpus selecionado constitui-se de cinco postagens do Facebook do período das eleições presidenciais de 2018 no Brasil. Os resultados corroboram a tese defendida, destacando-se, porém, que podem ocorrer nuances referentes às posições diversificadas dos interlocutores frente a essa estrutura a que denominamos argumentação multimodal