Resumo

O objetivo geral neste artigo é propor uma articulação teórica inicial entre o interacionismo sociodiscursivo (ISD) e os estudos da neurociência, particularmente dos trabalhos do cientista António Damásio. De forma específica, mostraremos essa articulação teórica em análises de textos orais produzidos na formação do mestrado acadêmico, a fim de compreender as possíveis relações entre esses textos, as emoções e a construção do pensamento científico. Ancorados no ISD, percorremos os conceitos basilares da teoria, advindos tanto da filosofia de Espinosa, quanto do Interacionismo social vigotskiano, destacando as similaridades com as conceituações sobre emoções e pensamento do neurocientista António Damásio. Os textos orais analisados, excertos de exames de qualificação e defesas de mestrado, foram coletados em uma pesquisa de doutorado, a partir das transcrições dos momentos de interação oral de três mestrandos da área de letras e linguística. Os excertos foram examinados através da categoria dos tipos discursivos do ISD. As análises mostram que a tensão inerente às interações orais ativam as “emoções de fundo”, as quais direcionam a mente a resgatar um pensamento científico em construção na memória, conforme as associações e comparações realizadas pelos mestrandos acerca dos dados das suas pesquisas. Essas associações são geralmente designadas por expressões linguísticas genéricas e comparativas.