Uso de construções linguísticas abstratas na brincadeira entre pares de crianças

Laílla Geohana dos Santos Almeida,
Rodrigo da Silva Lima,
Kleber Ferreira Costa,
Juliana M.ª Ferreira de Lucena

Resumo

O presente artigo tem o objetivo investigar como crianças de três anos, falantes de português brasileiro, engajam-se em processos de comunicação e de aquisição de linguagem, especificamente, de construções linguísticas abstratas, nas interações lúdicas com pares de idade. A perspectiva sociointeracionista e a abordagem baseada no uso para a aquisição da linguagem são colocadas em diálogo como base teórica para evidenciar como as crianças se comunicam por meio de recursos intersubjetivos e aprendem imitativamente construções linguísticas que ouvem no seu contexto sociocultural. Foram investigadas 10 crianças na faixa etária de três anos de idade que frequentavam uma creche Municipal Pública da Cidade do Recife. As crianças foram filmadas em situação de brincadeiras totalizando 12 sessões de videogravação, com 20 minutos de duração. Todas as sessões foram analisadas microgeneticamente. Foram identificados episódios interacionais que apresentaram as intenções comunicativas das crianças na brincadeira com os parceiros por meio de ações imitativas; e o emprego de construções linguísticas abstratas classificadas como afirmativas e interrogativas. Observou-se também o papel dos movimentos do corpo na comunicação intersubjetiva. Esta tinha o seu significado abreviado quando acompanhada do uso da construção linguística pelo interlocutor. Os dados apresentados permitem expandir os estudos na área, com o foco nas interações criança-criança falantes de português brasileiro, e podem oferecer referências empíricas que contribuam para o fortalecimento de pesquisas sobre a comunicação e a aquisição da linguagem como processos que se efetivam no uso mediante as necessidades interacionais.

Referências

AMORIM, K. Processos de Significação no Primeiro Ano de Vida. Psicologia: Teoria e Pesquisa, v. 28, n. 1, p. 45-53, 2012.

BORBA, A. M. Culturas da infância nos espaços-tempos do brincar: estratégias de participação e construção da ordem social em um grupo de crianças de 4-6 anos. Momento, v. 18, p. 35-50, 2007.

BRUNER, J. Child’s talk: learning to use language. New York/London: W. W. Norton & Company, 1983. 144 p.

BRUNER, J. Atos de significação. Porto Alegre: Artes Médicas, 1997. 130 p. (Original escrito em 1990).

CAMPOS, T. S.; GUIMARÃES, S. A. H. Aquisição de linguagem e prática pedagógica: algumas tensões, algumas contribuições. Cadernos do CNLF, v. XV, n. 5, p. 1464-1476, 2011.

CARVALHO, A. M. A.; PEDROSA, M. I. Precursores filogenéticos e ontogenéticos da linguagem: reflexões preliminares. Revista de Ciências Humanas, v. 34, n.1, p. 219-252, 2003. DOI: https://doi.org/10.5007/%25x.

CARVALHO, A. M. A.; PEDROSA, M. I.; ROSSETTI-FERREIRA, M. C. Aprendendo com a criança de zero a seis anos. São Paulo: Cortez, 2012.

COLE, M.; COLE, S. O desenvolvimento da criança e do adolescente. Porto Alegre: Artmed, 2003.

CORREIA, M. A constituição social da mente: (re)descobrindo Jerome Bruner e construção de significados. Estudos de Psicologia, v. 8, n. 3, p. 505-513, 2003. DOI: https://doi.org/10.1590/S1413-294X2003000300018.

CORREIA, M. Indeterminação, multidimensionalidade e relevância do processo de construção de significados. Maringá: Psicologia em Estudo, v. 14, n. 2, p. 251-258, 2009. DOI: https://doi.org/10.1590/S1413-73722009000200005.

CORDEIRO, G. S. Da ação à linguagem na interação criança-criança: um processo de construção. Tese (Doutorado em Linguística Aplicada e Estudos da Linguagem) – Universidade Católica de São Paulo (PUC), São Paulo, 1998.

ECKERMAN, C. O.; PETERMAN, K. Peers and infant social/communicative development. In: BREMNER, G.; FOGEL, A. (Eds.). Blackwell handbook of infant development. Oxford, UK: Blackwell, 2001. p. 226-350. DOI: https://doi.org/10.1002/9780470996348.ch12.

GRUTER, T. How do children learn language? In: SILVER, R. E.; LWIN, S. M. (Eds.). Language in Education: Social Implications. London: Bloomsbury Academic, 2014.

KISHIMOTO, T. M. (Org). Jogo, brinquedo, brincadeira e a educação. São Paulo: Cortez, 2010.

KUHL, P. K. Brain Mechanisms in Early Language Acquisition. Neuron, v. 67, n. 5, p. 713-727, 2010. DOI: https://doi.org/10.1016/j.neuron.2010.08.038.

LUCENA, J. M. F.; PEDROSA, M. I. Estabilidade e transformação na construção de rotinas compartilhadas no grupo de brinquedo. Psicologia: Reflexão e Crítica, n. 27, p. 556-563, 2014. DOI: https://doi.org/10.1590/1678-7153.201427317.

MEDEIROS, J., PEDROSA, M. I. Qual a primeira coisa que seu bebê lhe disse?. Curitiba, Brasil: Editora CRV, 2017.

NADEL, J.; BAUDONNIÈRE, P. M. Imitação, modo preponderante de intercâmbio entre pares, durante o terceiro ano de vida. São Paulo: Caderno de Pesquisa, n. 39, p. 26-31, 1981.

PEDROSA, M. I.; CARVALHO, A. M. A. Análise qualitativa de episódios de interação: uma reflexão sobre procedimentos e formas de uso. Psicologia: Reflexão e Crítica. v. 18, n. 3, p. 431-442, 2005. DOI: https://doi.org/10.1590/S0102-79722005000300018.

PEDROSA, M. I.; CARVALHO, A. M. A. Construction of communication during young children’s play. Revista de Etologia, v. 8, n. 1, p.1-11, 2006.

TEIXEIRA, C. R.; DICKEL, A. A aquisição da linguagem por meio das interações promovidas pelo cuidador em classe de berçário. Rev. Psicopedagogia, v. 30, n. 91, p. 52-63, 2013.

VIANA, K. M. P. Observando crianças e refletindo sobre o papel do movimento na comunicação. 179 f. Dissertação (Mestrado em Psicologia) - Departamento de Psicologia, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2008.

VIANA, K. M. P.; PEDROSA, M. I. Brincadeiras Coordenadas Cooperativas e o Compartilhamento de Intenções em Crianças. Psicologia: Reflexão e Crítica, v. 27, n. 3, p. 564-572, 2014. DOI: https://doi.org/10.1590/1678-7153.201427318.

TREVARTHEN, C. The concept and foundations of infant intersubjectivity. In: BRATEN, S. (Ed). Intersubjective communication and emotion in early ontogeny. Cambridge: University Press, 2006. (Trabalho original escrito em 1998).

VYGOTSKY, L. S. A formação social da mente. São Paulo: Martins Fontes, 1984.

VYGOTSKY, L. S. Pensamento e linguagem. São Paulo: Martins Fontes, 1993.

WALLON, H. A expressão das emoções e seus fins sociais. In: WALLON, H. As origens do caráter na criança: os prelúdios do sentimento de personalidade. São Paulo: Difusão Européia do Livro, 1971. p. 89-94. (Original escrito em 1934).

WALLON, H. Imitação e representação. In: WALLON, H. Do ato ao pensamento: ensaio de psicologia comparada. Petrópolis; Vozes, 2008. p. 59-88. (Original escrito em 1959).