Resumo

Em sua conferência, Neves vai à funcionalidade da linguagem a partir do conhecimento que se tem construído historicamente sobre a linguagem, examinando, particularmente as ideias desenvolvidas no platonismo, no aristotelismo e no sofismo. A reflexão da autora vai na direção de revelar de que forma o pensamento grego sobre a linguagem fornece os pilares da construção de uma teoria funcionalista da linguagem, chamando a atenção para as noções de gênero e de estilo, especialmente ligadas à noção de finalidade. Nesta resenha, recuperam-se as bases científicas do funcionalismo discutidas por Neves e apontam-se alguns desdobramentos teóricos de privilegiar a noção de finalidade nas incursões funcionalistas pela linguagem.