Resumo

Régine Kolinsky traça uma trajetória do conceito de “literacy” do século XIX, passando por evidências de mudanças da literacia nas capacidades cognitivas dos sujeitos letrados, até a descrição dos dados do pré-teste de seu projeto com adultos na EJA (Educação de Jovens e Adultos) na Bélgica. A professora contribui com reflexões importantes acerca da aquisição de leitura/escrita e correlatos cognitivos e seu impacto na sociedade. A professora cita evidências da relação entre literacia e o pensamento crítico e a desvirtualização da informação. Ela destaca a literacia para a formação do pensamento crítico dos cidadãos, cujo papel é fundamental para a dinâmica democrática de um país. No Brasil, a baixa literacia destaca-se negativamente nos índices de leitura de jovens avaliados pelo Pisa, classificando mais de 70% deles como maus leitores, tornando a situação grave e alarmante no país.