Resumo

Relações estreitas entre gramática e lógica são inegáveis. As primeiras gramáticas basearam-se claramente na lógica aristotélica e as gramáticas escolares são, hoje, a principal manifestação do modo de entender as linguagens que dela decorre. As teorias linguísticas contemporâneas, apesar de, em parte ao menos, abandonarem a lógica aristotélica, constroem seus modelos analíticos a partir de noções e processos oriundos da lógica matemática. Essas noções, no entanto, nem sempre são bem compreendidas e alguns resultados de sua aplicação à teoria linguística são surpreendentes. Vou analisar aqui o uso da noção lógico-matemática de recursividade na gramática gerativa, que a converte numa noção biológica.