Resumo

O presente estudo investiga a habilidade de discriminação fonêmica do Português Brasileiro (PB) e da Língua de Sinais Brasileira (Libras) em crianças e adultos ouvintes bilíngues bimodais (filhos de pais surdos), e em crianças surdas usuárias de implante coclear (IC) filhas de pais surdos ou de pais ouvintes, com acesso irrestrito ou restrito à Libras. Para avaliação da discriminação fonêmica do PB foi utilizado o Teste de Figuras para Discriminação Fonêmica (TFDF), proposto por Santos-Carvalho (2007), e para avaliação da discriminação fonêmica em Libras foi elaborado um teste com organização do TFDF. Os resultados revelaram que a habilidade de discriminação fonêmica do PB e da Libras em crianças ouvintes bilíngues bimodais está ocorrendo de forma esperada/normal. Em relação às crianças surdas usuárias de IC, o desempenho da criança surda com acesso irrestrito à Libras foi superior às outras crianças surdas com acesso restrito à Libras, e igual ao de adultos bilíngues bimodais no teste em Libras. A aquisição bilíngue bimodal (PB – Libras) por crianças e adultos ouvintes bilíngues bimodais, e por crianças surdas usuárias de IC com acesso irrestrito à Libras, não impede o desenvolvimento da habilidade de discriminação fonêmica na Libras nem no PB.