Resumo

Este estudo está situado entre o campo da aquisição fonológica e da sociolinguística. Esta é uma investigação sobre o conhecimento da criança sobre a adequação das formas linguísticas utilizadas para indicar situações particulares, papéis e relações. Há poucas investigações sobre essas questões, especialmente no Português do Brasil. Em defesa das pesquisas sobre aquisição fonológica fortalecerem as relações com a sociolinguística, este estudo teve como objetivo analisar os aspectos fonológicos envolvidos na mudança de estilo. Para investigar a relação entre a variação fonológica e a mudança de estilo em crianças, este estudo propôs observar 4 crianças, de ambos os sexos, entre 4 e 6 anos, em três situações interacionais diferentes, a partir do desempenho de diferentes papéis sociais: médico/paciente, professor/aluno, pai-mãe/filho e filha. Houve mais diferenças nas sessões família e médico do que na situação de sala de aula. As meninas produziram mais fala e também apresentaram mais dramatizações de realizações desempenhadas em comparação aos meninos. Atitudes são também adicionadas ao discurso quando as crianças realizam as diferentes funções. Por exemplo, quando estão fingindo ser um médico, estão preocupadas com a postura na cadeira, a forma como usam a caneta e usam gestos. Ou quando estão realizando um professor que eles falam mais alto e utilizam formas mais imperativas de verbos, por exemplo. Quando estão desempenhando o papel de uma criança, usam um pitch alto e falam com um volume mais baixo. Todas essas variações são utilizadas, em graus variados, para marcar diferentes registros dentro das situações, o que caracteriza uma variação causada por uma mudança de estilo. Alguns processos fonológicos oram mais usados para marcar alguns registros. As simplificações de clusters e codas e a substituição e semivocalização de líquidas foram as mais usadas para marcar alguns registos. Em geral, as crianças demonstraram ajustes fonológicos ao exercer algumas funções de classes sociais mais altas, como médico, professor e pai ou a mãe. Isso significa que eles usam alguns ajustes fonológicos para marcar as diferentes funções e os diferentes estilos. Os resultados indicam que as crianças estão realizando de forma muito semelhante aos falantes adultos, aumentando os níveis de retenção nos estilos mais formais. Assim, a experiência com vários estilos é importante para a construção de um repertório sociolinguístico mais amplo. Por isso, é importante que a criança tenha possibilidade de desempenhar diferentes papéis, no sentido de experimentar diferentes situações e de ter experiências em ambientes linguísticos formais e informais. Como mostram os resultados, as mudanças de estilo podem influenciar as escolhas fonológicas, ou seja, aumentam as possibilidades de variação em seu sistema fonológico.