Resumo

A experiência de pesquisa e extensão, realizada no âmbito do Projeto Barracão: Eldorado dos Carajás (Ministério da Educação) tem sido um espaço de ampla reflexão sobre o modo de realização do trabalho de extensão, a função social da universidade e as consequências de uma proposta de “inclusão social” (científica e tecnológica) de comunidades de periferia. Essa experiência vem sendo realizada, através de oficinas (música, arte, leitura, tecnologia, divulgação científica) desenvolvidas com os moradores do Núcleo Residencial Eldorado dos Carajás, localizado no município de Campinas. Esse Núcleo é resultado de uma ocupação, em 1996, e desde então, seus moradores vem buscando, através das regularizações necessárias junto à Prefeitura de Campinas, o estatuto de bairro. O objetivo das oficinas é colocar o sujeito em confronto com sua realidade, a fim de mostrar que o sentido do espaço que ele habita, já significado como sendo de periferia, pode ser outro. Assim como o sentido dos espaços dos quais ele se sente excluído também pode ser outro. Nosso objetivo, portanto, é desnaturalizar a relação inclusão/exclusão, produzindo para essa “oposição”, outros sentidos, e demonstrando sua contradição.