Resumo

Este artigo apresenta a proposta teórica que procura integrar ao conhecimento linguístico do falante a variabilidade linguística, incluída aí a variação indexada socialmente, e também discute alguns dados de variação sociofonética de adultos e de aquisição, que sustentam a hipótese de que a variação faz parte da aquisição e da modelagem do falante adulto e tem um aspecto representacional.