Resumo

As abordagens teóricas que tratam da gestão linguística têm se configurado em um dos campos de pesquisa das políticas linguísticas. Neste artigo, discorre-se sobre a relação entre língua, poder e economia. A partir de um diálogo teórico entre teologia, filosofia e política procura-se estabelecer uma reflexão sobre o conceito de gestão e sua reverberação na proposta da gestão linguística.