[1]
D. F. D. Ringhofer e E. S. Bolacio Filho, “Língua de herança, adolescência e avaliação”, RAbralin, vol. 19, nº 3, p. 936-949, dez. 2020.