Resumo

Neste artigo, pretendemos apresentar as principais bases da proposição da teoria dialógica de uma concepção de sentido como vir a ser, postulado, e ainda por se realizar em interações específicas, em vez de já dado e realizado no texto. O foco é que a linguagem serve às necessidades interacionais dos sujeitos, que são atendidas em situações concretas de enunciação. Isso envolve falar das relações entre linguagem e mundo concreto de acordo com as propostas da Análise Dialógica do Discurso (ADD), para o que é necessário abordar de que maneira a concepção dialógica pensa a apreensão do mundo pelo sujeito, a ideia da constituição do sujeito pela linguagem via enunciação, as relações entre linguagem e realidade, criadas mediante o discurso, e as condições sociais e históricas de enunciação, o que se vincula com a concepção especialíssima de ideologia da ADD. Recorremos para isso, especialmente, a duas obras basilares de autores da ADD.